A História do Colégio Brasil - Croácia se deve ao                                                                            Padre Damian Rodin

Após 60 anos, Croácia pode fazer história novamente no Brasil Perseguido na antiga Iugoslávia, padre Damian Rodin rumou para o Rio e deixou sua marca. Colégio Brasil-Croácia, fundado pelo religioso, [...] Veja mais em: ndonline.com.br/florianopolis/esportes/174197-apos-60-anos-croacia-pode-fazer-historia-novamente-no-brasil.html

 

Resolvemos prestar uma homenagem aquele que muito trabalhou na formação de nossa comunidade. Este homem de quem falamos faleceu há muitos anos passados, tendo deixado atrás de si uma vida de lutas muito heróicas, desafios,  uma fé fervorosa e um grande patriotismo. Este foi para a comunidade um pai, de seu povo defensor e do Cristo propagador, seu nome: Padre Damian Rodin.

Padre Damian Rodin, filho de Kuzma e Mare Rodin nasceu em 30 de outubro de 1910 na cidade Sibenik aldeia de Prvic Luka, província da Dalmácia, sendo seus país a Croácia.

Após ter cursado o seminário d

e Sibenik, ordenou-se sacerdote em 24 de junho de 1935. Até maio de 1945 levou sua vida exercendo o seu sacerdócio com santidade, contando sempre com a ajuda de sua família.

Quando em maio de 1945, após 4 anos de Independência de seu país, as tropas do Marechal Tito que já haviam subjugado os sérvios,  os montenegrinos, os eslavos e os macedônios invadiram a Croácia formando assim a Federação Iugoslávia. A então Iugoslávia passou a ser governada pelo Marechal Tito que adotou como forma de governo o comunismo tirânico. Desde então a Igreja Católica e o povo Croata passaram a sofrer inúmeras perseguições.

Padre Damian Rodin era um grande amigo e discípulo do arcebispo de Zagreb e primaz da Croácia, o mais destacado prelado croata, herói da Causa da Liberdade, defensor da igreja e de sua Pátria, contra os impiedosos comunistas.

Os dois juntos: Cardeal Aloysius Stepinac e Padre Damian Rodin foram os arautos da Liberdade Croata, por causa disso foram perseguidos, presos, torturados e condenados a morte. Junto com suas famílias foram levados para o Campo de Concentração. Logo depois o Cardeal Stepinac foi levado para a Prisão de Lepoglova onde ficou preso 17 anos e morreu após inúmeras atrocidades, Pe. Damian além de torturas sofreu ainda a dor de ver seus pais morrerem nas mãos dos Tiranos. Após muitas tentativas frustradas conseguiu escapar junto com outros companheiros, sendo recolhido pela Cruz Vermelha chegando ao Brasil em janeiro de 1954, ficando em Copacabana recuperando-se dos graves ferimentos.

Durante alguns meses estudou nossa língua e nossos hábitos, colocando-se a disposição do Arcebispo do Rio de Janeiro sendo designado e empossado pároco da comunidade de Nossa Senhora da Lapa em Senador Camará,

 O trabalho de Pe. Damian, foi muito marcante, pois o seu dinamismo contagiou a todas na época e nossa comunidade criou novo ardor. Sendo assim esta união entre pastor e ovelhas fez produzir muitos frutos, citaremos alguns mais marcantes:

§  Outubro de 1956

Inaugurado o Colégio Brasil-Croácia.

 

§  Setembro de 1959

Inicia-se a primeira reforma igreja nossa Senhora da Lapa onde foram aumentadas sua dependências.

 

§  Junho de 1960

Por causa da comemoração de seu Jubileu de Prata Sacerdotal publicou um livro de sua autoria que chamava-se “Croácia” (Sua história na história da civilização do Ocidente).

 

§  Junho de 1966

Inauguração da casa de saúde República  da Croácia em Sepetiba.

 

§  Maio de 1968

Ao se preparar para celebrar a Santa Missa vítima de um ataque fulminante do coração morre aos 58 anos Pe. Damian Rodin.

Sua morte abriu lacunas em nosso coração porém, seu exemplo e seus ensinamentos ficaram gravados para sempre na memória de nossa comunidade.

Depositando seus restos mortais dentro da igreja Nossa Senhora da Lapa (por ele fundada) queremos transmitir – lhe toda  gratidão, por ser o patrono do nosso colégio.